Terça-feira, 9 de Agosto de 2005

Não sei viver sem ti

 

cartadeamor1.bmp

Eu, sem ti...Não durmo, não sonho e não vejo!
Eu, sem ti... Não sorrio, não choro e vivo sofrendo, para sempre!
Eu, sem ti... Não sou ninguém! Não tenho destino, nem tino!
Estou a ficar louco! Mas pouco a pouco, cada vez mais louco por ti!
Sim! Porque tudo o que faço e digo, o que penso, é em ti!
Eu não controlo a minha mente.
És a minha vida, o meu alimento e a minha fonte de água corrente.
És a minha energia, és tudo aquilo que me faz sentir gente.
Se quis que fosses minha no passado, muito mais te desejo no presente!
E quero-te no futuro, minha para sempre.
O tempo passou e a minha alma continuou viva e ardente.

G.B.


O G. não é de gaivota, não sou autora deste texto... :)




Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal.
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas).

De «Poesias de Álvaro de Campos»

Escrevinhado por gaivota da ria às 01:41
| Quer Comentar?
|
14 comentários:
De a 10 de Agosto de 2005 às 22:40
Gosto muito deste poema! Vim deixar mil beijinhos!sussurros da lua
(http://blogfullmoon.blogs.sapo.pt/)
(mailto:sdrcarvalho@hotmail.com)
De a 10 de Agosto de 2005 às 14:35
Todas as cartas de amor são ridículas, mas rídiculo, ridículo é nunca ter escrito uma carta de amor, ridícula. Uma tragédia, é nunca ter recebido uma carta de amor, ridícula. Jinhos pa ti Fernanda Capêlo GaivotaAndesman
(http://opalanegra.blogs.sapo.pt)
(mailto:zedegois1@sapo.pt)
De a 10 de Agosto de 2005 às 11:20
Até setembro.. Lá fora, tenho um mundo à minha espera. Bjhsmaresia
(http://www.maresiaazul.blogspot.com)
(mailto:quina777@netcabo.pt)
De a 10 de Agosto de 2005 às 08:44
Conhecia e gosto deste poema, que atire a primeira pedra quem nunca escreveu cartas de amor ridiculas....Piedade Araujo Sol
(http://madrigal.blogsome.com//)
(mailto:piedadesol@netmadeira.com)
De a 9 de Agosto de 2005 às 21:21
Cartas de Amor quem as não teve?Pedro
(http://faroso.blogspot.com/)
(mailto:cabeadas@sapo.pt)
De a 9 de Agosto de 2005 às 21:11
Serão mesmo ridículas?... talvez para quem não está apaixonado mas, para quem escreve nenhuma palavra contida na carta é ridícula. Beijinhos.maggie
(http://undressmysoul.blogs.sapo.pt)
(mailto:aynhoa_@hotmail.com)
De a 9 de Agosto de 2005 às 20:02
Podem ser ridiculas, mas tenho-as guardadas no baú e no coração.
Beijinhos curiosa paixao
(http://curiosapaixao.blogs.sapo.pt/)
(mailto:curiosa-paixao@sapo.pt)
De a 9 de Agosto de 2005 às 16:29
No seu todo gostei deste post. Continue. Cumprimentos, Maria do Céu.Maria do Céu
(http://www.maisquepalavras.blogs.sapo.pt)
(mailto:mariaceucosta@sapo.pt)
De a 9 de Agosto de 2005 às 16:23
"O valor das coisas não esta no tempo em que elas duram,



mas na intensidade com que acontecem.



Por isso existem momentos inesquecivéis,



coisas inexplicavéis e



Pessoas incomparavéis."

Carlos
(http://vagueando.blogs.sapo.pt/)
(mailto:c_m_a_n_u_e_l@hotmail.com)
De a 9 de Agosto de 2005 às 16:18
Cartas de amor são eternas.Rídiculas ou não fazem parte de nós.Um beijinho.Aníbal
(http://mourani.blogs.sapo.pt/)
(mailto:mourani2@sapo.pt)

Comentar post


◊◊◊ ver perfil

◊◊◊ seguir perfil

◊◊◊ A minha velha ria...

◊◊◊ arquivos

◊◊◊ Abril 2007

◊◊◊ Março 2007

◊◊◊ Fevereiro 2007

◊◊◊ Janeiro 2007

◊◊◊ Dezembro 2006

◊◊◊ Novembro 2006

◊◊◊ Outubro 2006

◊◊◊ Setembro 2006

◊◊◊ Agosto 2006

◊◊◊ Julho 2006

◊◊◊ Junho 2006

◊◊◊ Maio 2006

◊◊◊ Abril 2006

◊◊◊ Março 2006

◊◊◊ Fevereiro 2006

◊◊◊ Janeiro 2006

◊◊◊ Dezembro 2005

◊◊◊ Novembro 2005

◊◊◊ Outubro 2005

◊◊◊ Setembro 2005

◊◊◊ Agosto 2005

◊◊◊ Julho 2005

◊◊◊ Junho 2005

◊◊◊ Maio 2005

◊◊◊ Abril 2005


◊◊◊ Voos recentes

◊◊◊ Dois anos depois...

◊◊◊ Cansaço...

◊◊◊ Agora "semos" all-garvios...

◊◊◊ Nós, as mulheres...

◊◊◊ "Etiqueta" no gato

◊◊◊ Com o meu silêncio...

◊◊◊ Sentir assim...

◊◊◊ Praga acorrentada

◊◊◊ Três anos apenas...

◊◊◊ Bom Ano Novo

Obrigada Sofia pela atribuição deste prémio: