Sexta-feira, 13 de Abril de 2007

Dois anos depois...

 

Em Abril de 2005 criei este blogue simples, como eu muitas vezes disse, escrito com letra pequena. Escrevi coisas sentidas, relatei episódios de menina e moça, brinquei aos saldos, escrevi uma carta ao irresistível chocolate, enfim, tudo à volta de uma «gaivota» que voou sobre a sua ria e mais além noutras rias, noutros mares onde comentou, onde falou com o coração, onde brincou, onde agradeceu a simpatia de quem está frente a um monitor, tão longe e tão perto...

Aqui na minha ria virtual soltei muitas gargalhadas, e algumas lágrimas...

Tal como o faço  na minha Ria Formosa, que ouve tantas vezes o meu silêncio quantas as vezes que testemunhou a minha felicidade...

Como vêem, hoje, eu não poderia deixar de falar na minha Ria, a real, a Ria Formosa que me inspirou no momento de escolher o nome do blogue e do nick .

Mas apesar de ter amado muito do que aqui escrevi não me sinto incentivada a continuar o blogue e isso tem sido cada vez mais notório...

Quanto às minhas rimas e outras brincadeiras tais, não vão dizer que acreditaram?! Foram uma desculpa para vos dizer: estou aqui, quero conversar com vocês nem que seja a brincar com rimas baratas!

Sei que não me enganei acerca de algumas pessoas que me acompanharam durante estes dois anos, é a "tal" empatia de que é gratificante  conhecer-lhe o significado (espero que me continuem a dar o prazer da vossa amizade) assim como outras pessoas que tendo blogues ou não, conheceram o meu há menos tempo. Obrigada pelas palavras deixadas aqui, obrigada pela simpatia.

Fico por aqui, em Abril de 2007. Até sempre!

 

só tu, eu e a nossa ria...

(img. retirada da Internet)

Escrevinhado por gaivota da ria às 23:58
| Quer Comentar? | Ver comentários (58)
|
Quarta-feira, 28 de Março de 2007

Cansaço...

 

O que há em mim é sobretudo cansaço

Não disto nem daquilo,

Nem sequer de tudo ou de nada:

Cansaço assim mesmo, ele mesmo,

Cansaço.

[...]

(Fernando Pessoa)

 

Escrevinhado por gaivota da ria às 23:22
| Quer Comentar? | Ver comentários (28)
|
Segunda-feira, 19 de Março de 2007

Agora "semos" all-garvios ou ôlgarvios

Allgarve??? Encaminho-me para «ferramentas», «ortografia e gramática» e não, não consta do dicionário, cujo idioma é Português(Portugal). Sugestões? Algarve! Decididamente tenho de actualizar este programa. Ainda é do tempo em que o Governo ainda não pensava aprovar a mudança do nome da minha terra para melhor vende-la ao turismo e não é que um simples L vale três milhões de euros(já ouvi seis e também já ouvi nove)?!!!
Reconheço a minha ignorância, daí talvez a cara de idiota com que fiquei depois de ter visto escarrapachada a palavra  Allgarve apresentada pelo senhor ministro da economia.
O mote foi «Experiências que marcam». Ai marcam! Marcam e de que maneira! Marcam-nos a nós que vemos bem longe indivíduos vestidos de branco com um pau dando pancadinhas delicadas num campo verde a perder de vista, dizem que são 9 a 18 buracos...Não sei se são, se não, estão muito longe... Mas no próximo Verão se não substituírem esta promoção do famoso L por outra menos ofensiva para alguns algarvios, para outros menos trágico-cómica, vou fazer os possíveis para «furar» e poder chegar até lá, a um dos extensos e inúmeros tapetes verdes e perguntar no meu fraco inglês a um qualquer desses turistas se sabe em que região está. Provavelmente responderá: I am in All-garve! Ao que perguntarei: What is the name of this country? Talvez fique com uma cara de parvo parecida com a minha no momento em que ouvi a novidade pela primeira vez e diga: It´s the south of Spain...

                                                              

 

     all-garvios marafados                          all-garvios marafados                                                                             

Escrevinhado por gaivota da ria às 23:05
| Quer Comentar? | Ver comentários (31)
|
Quinta-feira, 8 de Março de 2007

Nós, as mulheres...

Não, não vou fazer nada de especial no dia 8 de Março, o chamado Dia Internacional da Mulher.
As mulheres são mulheres todos os dias.
As mulheres não precisam de um dia específico para lhes lembrar que o são.
Elas não escolhem o dia 8 de Março para lutar pelos direitos que lhes pertencem, elas travam a luta durante todos os dias e em todas as áreas. Toda a gente sabe que esse esforço tem de ser maior principalmente na área da profissão, onde ainda se nota desigualdade de direitos. Esses direitos são das mulheres por legitimidade e a luta pela sua conquista  tem de ser ininterrupta, não acredito que este dia vá modificar com  relevância alguma coisa.
Pensando bem, se não houvesse desigualdade porque existiria este dia? Haveria lógica em lembra-lo?
Sim, sei porque escolheram esta data para comemorar o dia da mulher. Respeito essa luta de há 150 anos. Mas isso não me faz mudar de ideia. A vida é uma luta constante, seja pelos direitos da mulher, seja por outros direitos que qualquer pessoa, seja mulher ou homem, veria concretizados, caso não houvesse inércia, desprezo, ganância e um fingir de que se irá resolver tudo assim que as situações o permitirem.
Não, também não vou alinhar no mega jantar de colegas, amigas e amigas das amigas. Até, confesso, um jantar só de mulheres para mim seria demasiado enfastiante .
Também acho sempre ridículo no dia da mulher as usuais reportagens para os jornais da noite em que mulheres se preparam efusivamente para a apresentação do culminar da noite, o esperado strip masculino. Se apreciam a sensualidade da arte do despir masculino não precisam esperar pelo dia 8 de Março, é que assim, já bebidas e histéricas acabam por não conseguir apreciar nada. E depois, já pensaram que essa arte pode ser testemunhada e até sem pagar nada em qualquer dia do ano?
E só para terminar, mulheres da minha terra e arredores não façam muito barulho nesta noite/madrugada, entre dias 8 e madrugada de 9 de Março na minha rua, ai como eu detesto esses gritinhos histéricos, e o vosso cambalear desordenado. É assim que a luta de 1857 continua? É assim que pretendem chamar a atenção para o nosso papel na sociedade, é assim que querem contestar preconceitos e limitações a que estamos sujeitas? É assim que procuram o reconhecimento do nosso valor e da nossa dignidade?
Irei à janela como o faço todas as noites antes de me deitar e olharei as estrelas serenamente na expectativa do dia de amanhã, tenho consciência daquilo a que chamam a nossa fragilidade mas nunca me acharei fraca, a essa fragilidade dar-lhe-ei o sinónimo de sensibilidade. Não preciso medir forças. A minha força alentará sempre a exigência daquilo que sei que me deverá caber por direito. Principalmente respeito, amor, carinho tal como também qualquer pessoa precisa independentemente do sexo. Assim sim, seríamos iguais. Gosto muito de ser mulher. Mas o meu dia não é dia 8 de Março, são todos os dias do tempo em que estarei por «cá».
Mulher de 40
Escrevinhado por gaivota da ria às 00:12
| Quer Comentar? | Ver comentários (23)
|
Sexta-feira, 16 de Fevereiro de 2007

"Etiqueta" no gato

Quando leio um jornal que me desperta interesse geralmente leio-o quase de fio a pavio. É o caso do semanário Sol, que de vez em quando compro(eu disse de vez em quando). Tenho-o por um jornal inteligente, e que goza de um bom prestígio. Por isso foi com bastante perplexidade que me deparei no jornal de 3 de Fevereiro de 2007 com uma rubrica que apesar de só preencher um pequeno espaço no canto inferior direito da página 47 fez-me relê-la umas três ou quatro vezes como se o que estava lendo fosse um dos sintomas do meu cansaço... Uma senhora de nome Assunção Cabral ocupa nesse espaço uma rubrica chamada : Consultório de Etiqueta, nesse dia o titulo despertou-me a atenção: «O insuportável gato» onde uma senhora pedia ajuda para enfrentar um grande dilema: tinha um convite para jantar em casa do colega do marido mas este tinha dois gatos! A senhora tinha pânico de gatos. Perguntava o que devia fazer.
Eu pensei: não tenho o direito de criticar a senhora por esta ter pânico de gatos, às vezes essas coisas já vêm enraizadas e não há como fugir delas sem uma ajuda capacitada.
Comecei a ler a resposta que a dita conselheira lhe dedicou. Não irei transcreve-la na integra, mas vou repetir-vos alguns dos adjectivos que na opinião dela qualificam os gatos:
  • Possidoníssimos(?)
  • Traiçoeiros
  • Repelentes
  • Estupores
  • Nojentos(quanto ao cheiro)
E agora vêm alguns dos adjectivos que compõem o chorrilho com que baptiza os donos:
  • Pirosos (aqueles que têm gatos de raça mais apurada)
  • Tonta (a dona porque se habituou ao cheiro sórdido deixado pela casa)
Agora vamos à sua derradeira conclusão:
  • Ter gatos é definitivamente uma ordinarice indesculpável.
Fiquei também sabendo que a única simpatia que tem pelos cães é:
  • A obsessão com que perseguem os gatos.
Passou-se algum tempo desde que li este infeliz texto, e hoje ocasionalmente quando deambulava pela web encontrei exposta a indignação de outros leitores aqui.
Será que a senhora já publicou o pedido de desculpas que lhe solicitaram? Não sei, porque entretanto não comprei o semanário na semana passada e ainda não é sábado! Depois, vocês dizem-me, já que não sei se o vou comprar esta semana (reticências).
 
 
Escrevinhado por gaivota da ria às 23:16
| Quer Comentar? | Ver comentários (34)
|

◊◊◊ ver perfil

◊◊◊ seguir perfil

◊◊◊ A minha velha ria...

◊◊◊ arquivos

◊◊◊ Abril 2007

◊◊◊ Março 2007

◊◊◊ Fevereiro 2007

◊◊◊ Janeiro 2007

◊◊◊ Dezembro 2006

◊◊◊ Novembro 2006

◊◊◊ Outubro 2006

◊◊◊ Setembro 2006

◊◊◊ Agosto 2006

◊◊◊ Julho 2006

◊◊◊ Junho 2006

◊◊◊ Maio 2006

◊◊◊ Abril 2006

◊◊◊ Março 2006

◊◊◊ Fevereiro 2006

◊◊◊ Janeiro 2006

◊◊◊ Dezembro 2005

◊◊◊ Novembro 2005

◊◊◊ Outubro 2005

◊◊◊ Setembro 2005

◊◊◊ Agosto 2005

◊◊◊ Julho 2005

◊◊◊ Junho 2005

◊◊◊ Maio 2005

◊◊◊ Abril 2005


◊◊◊ Voos recentes

◊◊◊ Dois anos depois...

◊◊◊ Cansaço...

◊◊◊ Agora "semos" all-garvios...

◊◊◊ Nós, as mulheres...

◊◊◊ "Etiqueta" no gato

◊◊◊ Com o meu silêncio...

◊◊◊ Sentir assim...

◊◊◊ Praga acorrentada

◊◊◊ Três anos apenas...

◊◊◊ Bom Ano Novo

Obrigada Sofia pela atribuição deste prémio: